Início O Caminho Semente misturada (II)
Semente misturada (II) Imprimir E-mail

"O Caminho" nº16

“Não lavrarás com junta de boi e jumento” (Deut. 22:10).

Para compreender o significado desta lei, temos de lembrar que, quando Deus fala sobre bois e jumentos, não é tanto com os animais que Ele se preocupa, mas com Seu povo. Uma comparação de Deut. 25:4 com I Cor. 9:9-10 e I Tim 5:17-18, mostrará claramente este fato.

Aqui, o Senhor proibiu um jugo desigual no serviço material de Seu povo. Ele não deu razões para esta proibição, como deu no versículo anterior. Contudo, o contexto mostra que as misturas sempre produzem resultados “degenerados”, e assim podemos entender que o jugo desigual, por causa da diferença na natureza e na força destes animais, ia produzir serviço inferior.

Nas Escrituras, o jugo sempre fala sobre o nosso serviço para o Senhor. O Senhor Jesus, depois de convidar os cansados e sobrecarregados, usou esta figura do jugo: “Tomai sobre vós o Meu jugo, e aprendei de Mim” (Mat. 11:29). Ele quer, não apenas que cheguemos a Ele como Salvador, mas que entremos em Seu serviço, submissos à Sua direção. O costume antigo de colocar, na mesma canga, o boi novo com o boi experimentado, fazia com que o mais novo aprendesse rapidamente o serviço de seu dono. Se pensava em andar no seu próprio caminho, seria muito mais pesado para ele, pois o outro não ia desviar da vontade do dono. Às vezes recebemos o convite do Salvador em Mat. 11:28, mas não queremos nos submeter a Sua ordem como Senhor, para tomar Seu jugo no serviço. O verdadeiro serviço espiritual começa com este ato da vontade, colocando nossa vida no controle do Senhor. Paulo tomou o jugo logo depois da sua conversão, quando perguntou: “Que farei Senhor?” (Atos 22:10), mas nem sempre é assim conosco, e podemos continuar anos lutando sozinhos, antes de aprender a necessidade deste passo (Rom. 12:1-2).

Mesmo depois de tomar o jugo do Senhor, existe ainda a possibilidade de que certas misturas entrem nesse jugo. É neste sentido que o versículo que estamos estudando vem nos orientar, e a exortação de Paulo em II Cor. 6:14 a 7:1 (“Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos”) é certamente uma aplicação espiritual de Deut. 22:10 para a igreja hoje. Estas palavras, escritas para corrigir a mistura entre a igreja em Corinto e a idolatria daquela cidade, contém um princípio importantíssimo para todos os salvos, e precisamos sempre lembrar dele nos vários aspectos da vida. Provavelmente nós não entraríamos nos templos onde há estátuas e imagens de pessoas que recebem adoração dos incrédulos. Contudo, nós temos a tendência de deixar algo tomar o primeiro lugar em nosso coração. Aquilo que rouba o nosso tempo com o Senhor e com Sua Palavra é, certamente, um ídolo em nosso coração. Vamos mencionar, agora, algumas áreas onde esta mistura facilmente pode aparecer para estragar o nosso serviço espiritual, e conseqüentemente nos roubar das bênçãos de Deus.

A primeira área é nas amizades entre pessoas de sexos opostos, onde um é salvo e o outro não. Muitos se enganam com o pensamento que o seu caso não é um “jugo desigual”, porque aquela pessoa querida gosta muito das coisas de Deus, e até vem ouvir a Palavra de Deus. Contudo, no v. 15, Paulo deixa bem claro que, se a pessoa não é salva em Cristo, então ainda é do maligno e do mundo. Se a pessoa realmente está interessada na salvação da sua alma, ela continuará ouvindo a Palavra de Deus, independentemente da amizade especial com a pessoa salva. A única prova real dos motivos dos dois seria terminar com o namoro, e deixar Deus operar na vida do descrente. O conselho dos pais de Sansão é muito válido hoje, quando parece que muitos jovens olham para o mundo, e não para a família de Deus: “Não há, porventura, mulher entre as filhas de teus irmãos, ou entre todo o meu povo, para que vás tomar esposa dos filisteus, daqueles incircuncisos?” Mas Sansão não quis aceitar este conselho, e sofreu pelo resto de sua vida, por causa de jugos desiguais. O serviço de Salomão também foi seriamente prejudicado por causa deste jugo desigual (I Reis 11:1-11). Como outro tem observado, é impressionante que o serviço do homem mais forte da Bíblia (Sansão), e também do homem mais sábio (Salomão), foi estragado pelo jugo desigual de amizades pessoais com incrédulos. Foi este jugo desigual que derrotou o povo de Israel quando desobedeceram a Palavra de Deus e se misturaram em casamento com as nações (Deut. 7:3-4; Jos. 23:6-13; Esd. 9:10). Quantas vidas Satanás tem apanhado nesta armadilha! Prezado jovem salvo, se por acaso esta parte tem aplicação à sua vida, receba o aviso da Palavra de Deus, e termine este jugo desigual. Uma coisa devemos sempre lembrar aqui, que mesmo se, na misericórdia de Deus, aquela pessoa descrente um dia vier a crer em Cristo, isto não quer dizer que Deus abençoou a desobediência do salvo, e não tira a sua culpa pela desobediência. Haverá conseqüências desagradáveis mais tarde (Gál. 6:8).

Também, há outros tipos de jugos desiguais que trazem grande prejuízo ao serviço espiritual da pessoa salva. Lemos, em II Crôn. 20:35-37, sobre um bom rei, chamado Josafá, que, depois de servir fielmente ao Senhor durante muitos anos, fez uma aliança de negócios com outro rei injusto. Entraram em sociedade para construir navios com planos de buscar riquezas para os dois. Mas Deus não abençoou aquele jugo desigual, e aqueles navios foram destruídos antes da sua primeira viagem.

Em certos lugares, há grande pressão para os salvos participarem nas atividades organizadas pelas comunidades rurais. Às vezes até convidam os irmãos da igreja para tomar uma parte de responsabilidade como “presidente”, etc. Provavelmente seu pensamento é que um “irmão”, sendo homem de caráter e honestidade, serviria melhor nesta liderança. Parece uma boa recomendação, e uma boa oportunidade para falar do Evangelho, mas atrás disto vem a astúcia do maligno para misturar a igreja com o mundo. O irmão que toma tal posição, mesmo com bons motivos, está entrando num jugo desigual e desobedecendo a Palavra de Deus, e não deve pensar que Deus abençoará aquele trabalho.

Outra coisa, que é só mais um passo neste mesmo caminho, é a política. Não há possibilidade de um salvo servir ao Senhor na política, porque a Bíblia mostra claramente que, como soldados de Cristo, não temos parte nos negócios deste mundo (II Tim. 2:4), e que nossa responsabilidade neste sentido é obedecer às autoridades (Rom. 13:1-7), orar pelas autoridades (I Tim. 2:1-2), mas nunca procurar ser parte deles (Fil. 3:20; Col 3:2). É um jugo desigual que tem estragado o serviço espiritual de muitos irmãos em Cristo.

O Senhor não somente nos alerta sobre o perigo destes jugos desiguais, mas também nos dá o remédio: “Retirai-vos do meio deles, separai-vos, diz o Senhor; não toqueis em coisas impuras; e Eu vos receberei, serei vosso Pai, e vós sereis para Mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo Poderoso. Tendo, pois, ó amados, tais promessas, purifiquemo-nos de toda impureza, tanto da carne, como do espírito, aperfeiçoando a nossa santidade no temor de Deus” (II Cor. 6:17 a 7:1).

Que possamos examinar nossas vidas perante esta parte da Palavra de Deus, e se tiver “jumentos” e “bois” misturados em nosso serviço, que o Senhor possa nos ajudar a colocar tudo em ordem, para a glória do Senhor que nos chamou ao Seu serviço, e quer recompensar a obediência total dos Seus servos.

S. R. Davidson